Comissão apresenta projeto do Museu de Ciência e Tecnologia de Brasília

Posted on Julho 5, 2010

0


TAMARA COSTA para o Gestão C&T online

Representantes do MCT e da Universidade de Brasília (UnB) apresentaram o projeto do Museu de Ciência e Tecnologia, iniciativa de grande potencial educacional que deverá contribuir para a consolidação da cultura científica, além de aproximar o diálogo entre a sociedade e pesquisadores. A reunião foi realizada na manhã desta quarta-feira (30), no auditório da reitoria da UnB.

O projeto inclui a instalação de anfiteatro, auditório, centro de referência multimídia, observatório astronômico, planetário, restaurante, lojas, além de espaços temáticos em uma área de 9 mil metros. Serão investidos R$ 55 milhões, recursos oriundos de diversas fontes, entre elas governo, Estado, fundos de fomento, emendas parlamentares, iniciativa privada e organismos internacionais.

Para a doutora em museologia, Maria Inês, que auxiliou no redicionamento e na qualificação dos programas do Museu, o projeto está imbuído de intenções interdisciplinares e já tem maturidade conceitual para ser implantado. “O fato dele nascer ancorado em uma universidade do peso da UnB deve ser colocado no momento em que ele está sendo traçado e articulado”, destacou.

Inês afimou que o projeto foi organizado levando em consideração, além das exposições, que são o carro-chefe, programas que devem garantir a viabilização do projeto. “Hoje o museu está articulado com os alargamentos necessários para o diálogo permanente interdisciplinar que ele terá que estabelecer dentro e fora da universidade. Ele também esta organizado para a implementação de equipamentos de grande formato e diferentes canais em que tiver que ser inscrito ”, pontuou.

Ocupação
O local de implantação do Museu de Ciência e Tecnologia de Brasília ainda não foi decidido mas já divide opiniões. De um lado, a comunidade acadêmica defende a construção do espaço na área ao lado do Instituto de Ciências Biológicas, no campus Darcy Ribeiro, na UnB. Mas de acordo com os membros da comissão executiva, a idéia é que o complexo ocupe a antiga Estação Rodoferroviária de Brasília, que deve ser transferida para outra sede em julho deste ano.

Em entrevista exclusiva ao Gestão C&T online, a representante do MCT na comissão executiva de implantação do museu, Mônica Menkes, destacou a viabilidade da realização da reforma na antiga rodoviária interestadual que, segundo ela, levaria menos tempo e dinheiro levando em consideração a possibilidade da construção de um novo prédio na UnB. “Hoje a prioriadade na universidade não é construir o museu porque ela tem as obras de expansão do campus, que estão na frente”, ponderou.

Cassio Laranjeiras, professor do Instituto de Física da UnB, afirmou que a Secretaria de Patrimônio da União (SPU) e o Ministério do Exército, que tem a concessão da área da antiga Rodoferroviária, já foram acionados para que a ocupação seja efetivada. “A necessidade que temos hoje é de articular uma comissão político institucional para que a gente possa, de fato, realizar essa ocupação. Foi feita a solicitação e estamos no aguardo dessa resposta”, adiantou o palestrante.

Participaram da mesa também o reitor da UnB, José Geraldo de Souza, o representante da Faculdade de Tecnologia (FT) da UnB, Alexandre Romariz, e o diretor do Departamento de Popularização e Difusão da Ciência e Tecnologia do MCT, Ildeu Moreira. Assistiram à apresentação representantes do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), ABIPTI, Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Agência Espacial Brasileira (AEB), entre outras instituições.