Ação robusta para o pré-sal deve ser lançada durante a 4ª CNCTI, afirma Elias

Posted on Maio 11, 2010

0


TAMARA COSTA para o Gestão C&T online

O secretário executivo do MCT, Luiz Antonio Rodrigues Elias, afirmou que o governo federal deverá lançar uma ação robusta para o pré-sal durante a 4ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (4ª CNCTI), que acontecerá em Brasília (DF), entre os dias 26 e 28 de maio. De acordo com ele, mais de duas mil pessoas já haviam se inscrito no evento em menos de uma semana após a abertura das inscrições. A informação foi dada durante reunião do Conselho Nacional de Secretários para Assuntos de Ciência, Tecnologia e Inovação (Consecti), em Brasília, na última sexta-feira (7).

“Não poderíamos chegar na conferência sem algumas ações, dado o amadurecimento que temos até hoje e do plano de investimento que está em curso. É provável que possamos lançar uma ação robusta para o pré-sal: R$ 150 milhões da Finep, mais alguns milhões do BNDES e mais alguns milhões do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello da Petrobras, pensando no intercâmbio de pesquisa e diversas redes que fazem a interlocução do pré-sal”, adiantou Elias.

De acordo com o secretário executivo, a idéia inicial do encontro é reunir de 2,5 mil a 3 mil pessoas. Elias pediu aos participantes da reunião que ajudassem na divulgação da conferência em seus Estados. “Teremos especialistas mas, além disso, queremos especialmente a presença das instituições organizadas porque elas dão outro sentido a esse processo”, afirmou.

Ele também lembrou a importância da agenda do MCT com o Consecti e o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) para a consolidação de políticas para o setor. “A agenda com o Consecti-Confap mudou a história da construção de políticas públicas no Brasil. Não vamos consolidar a agenda se não tivermos essa posição. Os documentos que vocês apresentarem serão discutidos diretamente”, lembrou.

O secretário executivo pediu que os representantes regionais, presentes na reunião, se organizassem para enviar, no prazo máximo de uma semana, o relato resumido do que será apresentado durante a conferência. Elias solicitou que os resultados institucionais fossem compilados e concisos. Na 4ª CNCTI os relatores das cinco regiões brasileiras terão um tempo para a apresentação das propostas conjuntas e para o relato das necessidades específicas de cada região.

O secretário de Desenvolvimento do Estado de São Paulo, Luciano Santos Tavares, propôs que o formato das apresentações regionais fossem unificadas e divididas em eixos como formação de capital humano, marcos regulatórios, fomento, ICTs, universidades, empresas, peculiaridades e ações comuns.

O secretário de Estado de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia do Pará (Sedect/PA), Maurílio de Abreu Monteiro, sugeriu que juntos, Consecti e Confap, redijam uma carta de compromissos a ser entregue ao governo durante a conferência. A idéia é que o resultado dessas discussões entre comunidade científica, empresarial, governo e a sociedade civil organizada subsidiem a elaboração de uma Política Nacional de CT&I para os próximos anos.

Informações sobre a 4ª CNCTI estão disponíveis no site http://www.cgee.org.br/cncti4.

REPLICADA PELO JORNAL DA CIÊNCIA (VISUALIZAR NESTE LINK)

Posted in: ECONOMIA, POLÍTICA