Autoridades marcam presença na abertura da 10ª Conferência Anpei

Posted on Abril 28, 2010

0


TAMARA COSTA, de Curitiba, para o Gestão C&T online
Edição de 27 de abril de 2010 – Nº 926 – Ano 9 (visualizar)

A abertura da 10ª Conferência Anpei de Inovação Tecnológica, que aconteceu na tarde desta segunda (26), no complexo da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), em Curitiba, contou com a presença de autoridades e gestores do setor, que juntos partilharam a idéia de que é preciso aperfeiçoar os instrumentos de inovação e avançar junto com o setor privado. O tema desta edição, que vai até o dia 28 de abril, é “Cooperação para o desenvolvimento sustentável”.

Sentaram-se, na mesma mesa, representantes do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), do MCT, do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), entre outros órgãos públicos relacionados. A presidente da Anpei, Maria Angela Barros, abriu a cerimônia lembrando aos participantes que inovar é quebrar paradigmas. Segundo ela, tal escolha vence o conformismo e se perpetua, da esfera individual para a coletiva, promovendo um novo patamar de desenvolvimento no país. “A vontade de ousar é do Brasil e dos brasileiros”, constatou.

A Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras (Anpei), que existe há 23 anos, objetiva atuar, junto aos outros setores da sociedade, como um estimulador das virtudes da inovação. Segundo a presidente, a meta para 2010 é alcançar 0,65% do Produto Interno Bruto (PIB). “A tendência é de que vamos conseguir cumprir esse patamar. A prática de alguns privilegiados está se tornando a prática empresarial do país”, afirmou.

O Ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, presente na ocasião, falou das linhas gerais do crescimento brasileiro do ponto de vista macro-econômico. Ele lembrou que vários setores do governo estão empenhados na elaboração de uma política em prol do desenvolvimento produtivo nacional. Em seu discurso, também assegurou a confiança na estabilidade e na capacidade brasileira de crescer. Ele chamou a atenção para a solidez da política fiscal brasileira e disse também que, enquanto as dívidas públicas explodem no mundo inteiro, a brasileira deve cair.

Para o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, o Brasil está preparado para retomar o crescimento econômico a partir de condições sustentáveis. Segundo ele, a crise já foi superada. “A pergunta agora não é se vamos crescer, mas quanto vamos crescer. Será preciso segurar um pouco o crescimento para evitar pressões indesejáveis?”, indagou.

Coutinho concentrou seu discurso no propósito de lançar um olhar de longo prazo à questão da inovação. “Não quero falar dos desafios macro ou da poupança que precisamos reforçar para não depender da poupança externa, não quero falar dos desafios dos investimentos em infra-estrutura, necessários ao crescimento do país. Não quero falar sobre a necessidades fundamentais de aumentar a produtividade no setor publico”, pontuou. Segundo ele, a inovação ainda é restrita a empresas líderes e deve alcançar todas as cadeias produtivas. “A inovação na empresa é o passaporte para a liderança”, afirmou.

O presidente do BNDES propôs que sejam discutidas maneiras inovadoras para recuperar o retrocesso do Brasil nas últimas décadas, quando foi perdido tempo e investimentos na capacidade de inovação em conhecimento. Para ele, é importante repensar as políticas públicas e também estruturas empresariais, além de aumentar os créditos em inovação e dar atenção especial aos setores de alta tecnologia.

Estiveram também presentes o presidente da Federação das Industrias do Estado do Paraná, Rodrigo da Rocha Loures, o diretor técnico do Sebrae Nacional, Carlos Alberto Santos; o governador do Paraná, Orlando Pessuti; o secretário executivo do MCT, Luiz Antonio Elias; o secretário de Tecnologia Industrial do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Francelino Grando; o presidente da Finep, Luiz Fernandes; e o presidente do Conselho Superior da Anpei, Pedro Vonjovski.

Posted in: COBERTURAS, POLÍTICA