Sebrae Acre promove debate sobre a importância da inovação nas MPEs na Amazônia

Posted on Abril 13, 2010

0


TAMARA COSTA (de Belém, para o Gestão C&T)
Edição de 22 a 24 de março de 2010 – Nº 911 – Ano 9 (visualizar)

O segundo dia da 2ª Conferência da Região Norte de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) foi marcado por discussões sobre inovação nas sociedade e nas empresas. A palestra “Inovação na micro e pequena empresa: um desafio na Amazônia” foi apresentada na última sexta-feira (19) pelo coordenador da Assessoria de Comunicação do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) do Estado do Acre, Glauco Gomes de Almeida.

“Existem aproximadamente 16 milhões de micro e pequeno empresas (MPEs) espalhadas pelo Brasil. Dessas, pouco mais de 5 milhões estão ativas e formalizadas e menos da metade possuem CNPJ”, informou. Segundo ele, as empresas formais geram cerca de 60% dos empregos no Brasil, o que representa para o país uma expressiva força econômica.

De acordo com o palestrante, o alto índice de informalidade decorre da dificuldade de acessar crédito, além da questão cultural, entre outros itens. Na Amazônia, o número de MPEs irregulares chega a quase 200 mil. Conforme estimativas, a cada três empresas informais na região Norte, apenas uma é formalizada – o que representa mais de dez milhões de empresas atuando na informalidade no Estado. A inovação é, portanto, uma necessidade latente na região.

“Sabemos que o brasileiro é um povo criativo, então como aliar criatividade ao conhecimento da academia ao mundo prático? Sem iniciativa as propostas ficam somente no discurso”, afirmou Almeida. Para ele é preciso criar, gerar conhecimento para que as empresas brasileiras sejam inovadoras.

“O conhecimento é combustível para a inovação”, adiantou Glauco. Segundo o coordenador, para promover a inovação nas MPEs na região amazônica, que não é uma região industrializada e possui dificuldades de acesso, é preciso levar em consideração a força desse segmento. “É preciso fortalecer, senão criar outras políticas de investimento e financiamento priorizando soluções para elas”, lembrou.

A palestra do representante do Sebrae/Acre foi seguida pela apresentação de João Ronaldo Melo Mota, da Federação da Indústria do Estado do Amazonas (Fieam) e de Luciana Souza, gerente de Responsabilidade Social Corporativa do Instituto Nokia de Tecnologia (INdT). Após as apresentações, seguiram-se os debates e a sugestão de novas propostas, que devem ser apresentadas na 4ª Conferência Nacional de CT&I, que acontecerá em Brasília, nos dias 26, 27 e 28 de maio de 2010.