Gestor de Marketing da FNQ discorre sobre excelência em modelos de gestão

Posted on Março 29, 2010

0


TAMARA COSTA (para o Gestão C&T e Informe Abipti)
Edição de 8 a 10 de março de 2010 – Nº 907 – Ano 9

A excelência em uma organização depende fundamentalmente de sua capacidade de adotar uma visão sistêmica, primar pelo desenvolvimento sustentável, além de manter-se em rede e conectada a uma visão empreendedora. O modelo “tripé” de sustentação foi apresentado por Adriano Silva, gestor de Marketing da Fundação Nacional de Qualidade (FNQ) na palestra “A importância da melhoria na gestão”, durante seminário organizado pela Abipti na última semana.

“O principal desafio das empresas é manter a questão da sustentabilidade, o eixo. É importante ter a consciência de que a auto-avaliação constante é essencial para que ela possa detectar seus pontos fracos e ver a oportunidade de melhoria”, disse André em entrevista ao Gestão C&T online. É também preciso persistir durante a aplicação de um novo modelo de gestão. “O modelo não é uma coisa que se adapta de uma hora pra outra. Você precisa de tempo, longevidade e principalmente persistência para colher resultados futuros”, acrescentou.

A Abipti utiliza conceitos do Programa de Excelência em Gestão (PEG), desenvolvido pela FQN, dentro do programa da excelência, que é repassado à seus filiados. Adriano lembrou que a Abipti tem servindo como ponte entre o modelo de inovação e as organizações associadas a ela. “A Abipti tem levado o setor de inovação a um desenvolvimento maior. Ela tem ajudado as organizações a serem mais inovadoras cuidando da gestão delas”, lembrou.

O seminário “Em busca da Excelência nas Entidades Tecnológicas” aconteceu nos dias 4 e 5 de Março, em Brasília, no auditório da Fundação Ceres. O ciclo de palestras contou com a participação de entidades públicas e privadas. Além da FNQ, estiverem presentes representantes da Finep, do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpe/Petrobrás – RJ), a Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica (Fucapi-AM), o Centro Internacional de Inovação do Sistema Federação das Indústrias do Paraná (FIEPR), o Ministerio do Planejamento, Orçamento e Gestão, e a Embrapa Meio Ambiente (CNPMA).

Caso de sucesso
O Laboratórios Ghanem (Joinvile-SC) é a empresa vencedora em duas categorias da etapa nacional do Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas MPE Brasil 2008: serviços de saúde e destaque em responsabilidade socioambiental.

O empresário Omar Amin Ghanem Filho, proprietário do Laboratório, é um grande entusiasta do modelo. “Ghanem adotou o modelo há dois anos e ela vem, cada vez mais, melhorando os processos, melhorando a questão da gestão e hoje é uma das microempresas mais competitivas do país. O presidente do laboratório defende o modelo até o fim, e sempre fala o quanto o modelo trouxe benefícios para a empresa: como deixou o laboratório sistêmico, mais alinhado e mais competitivo para o mercado”, finalizou André Silva.

O MPE é uma grande oportunidade para que as micro empresas tenham seu desempenho avaliados. Na última premiação cerca de 53 mil micro e pequenas empresas inscritas foram avaliadas em relação à sua gestão e aos processos que adotam, além de terem recebido de melhorias para as diferentes etapas do processo de implementação de um modelo de gestão inovador.

As inscrições para o MPE Brasil 2010 estarão dísponiveis a partir do dia 23/03, no http://www.mbc.org.br/mpe.

Veja mais: Curso gratuito do Modelo de Excelência em Gestão neste link (http://www.fnq.org.br/site/458/default.aspx)

*Publicada em março/2008 (visualizar neste link)