Hospitais públicos do DF ganham novas normas de segurança

Posted on Março 26, 2010

0


TAMARA COSTA (para o correiobraziliense.com.br)

Os hospitais públicos do DF acabam ganhar novas normas de segurança. Nesta segunda-feira (21/07), a Secretaria de Saúde encaminhou às regionais de saúde regras gerais de mudança de conduta que impõem limitações ao horário de visita, à quantidade de visitantes por dia para cada paciente e o uso obrigatório de crachás, tanto para servidores, quanto para visitantes e acompanhantes.

De acordo com o secretário de Saúde do DF, José Rubens Iglesias, muitas variáveis no processo de entrada do hospital precisam ser disciplinadas com regras enfáticas. “Para os servidores queremos implantar crachás e uma portaria única de acesso. Para o visitante, é importante disciplinar a quantidade por dia. As regras já existiam, mas, quando você não reitera, elas passam por esquecimentos”, afirma. Segundo o secretário, com a vigência das novas regras, cada paciente que hoje recebe dez vizistas, deverá receber, no máximo, duas, e em horário pré-definido. Ao visitante cabe chegar com antecedência, usando trajes adequados para que seja habilitado a circular pelas dependêncais do hospital.

Uma das metas é fazer com que o acesso a todos os hospitais públicos do DF seja monitorado por câmeras. O projeto piloto foi implantado no Hospital Reginal do Gama, o primeiro da rede pública a instalar o sistema. No final de junho, 36 aparelhos foram instalados em diversos pontos do hospital. Não há projeção de tempo até que todas as unidades sejam monitoradas, já que uma área grande precisa ser revista. O DF possui 62 centros de saúde, 40 postos de saúde, 15 hospitais regionais, 6 unidades de referência, duas unidades mistas, 74 equipes de PSF (Programa Saúde Família), dois laboratórios regionais e um centro radiológico.

A mudança de postura será introduzida aos poucos, na medida em que os relatórios da condições de cada unidade de saúde seja verificada. Até agora, as regionais do Gama, Samambaia e Guará já foram visitadas pelos técnicos da Secretaria de Saúde, que apontaram os pontos fortes e fracos de cada um. “Acredito que dentro de 60 dias tenhamos terminado de receber os relatórios”, adianta o secretário. O processo de aperfeiçoamento da segurança conta com a parceria do envolveu o Corpo de Bombeiros e da Secretaria de Segurança do DF.

* Matéria de Julho/2008

Posted in: CIDADES